Como você diz?

sábado, 27 de setembro de 2014

Os linguistas Ute Fischer e Judith Orasanu apresentaram certa vez o seguinte cenário hipotético a um grupo de pilotos e co-pilotos e perguntaram como eles reagiriam:

Você observa no radar meteorológico uma área de forte precipitação 40km à frente. O piloto está mantendo o curso atual a Mach 0,73, embora tempestades ainda não visíveis tenham sido detectadas em sua área e você se depare com uma turbulência moderada. Seu objetivo e assegurar que o avião não penetre nessa área. Pergunta: o que você diz para o piloto?
Fischer e Orasanu acreditavam que existem pelo menos seis formas de tentar convencer o piloto a mudar de curso e evitar a tempestade, cada uma delas com diferentes níveis de mitigação.

  1. Ordem: "Vire 30 graus à direita." Essa é a forma mais direta e explícita imaginável de se dizer algo. Seu nível de mitigação é zero.
  2. Afirmação, obrigando a tripulação: "Precisamos nos desviar para a direita agora." Observe o uso da primeira pessoa do plural (nós) e o fato de que o pedido é agora bem menos específico. Uma abordagem um pouco mais suave.
  3. Sugestão à tripulação: "Vamos contornar o mau tempo." Está implícito nesta sugestão: "Estamos juntos nisto."
  4. Consulta: "Para qual direção gostaria de desviar?" Um modo ainda mais suave do que a sugestão, porque quem fala está admitindo que não está no comando.
  5. Preferência: "Acho conveniente virar para a esquerda ou direita."
  6. Palpite: "Aquele retorno a 40km parece terrível." A afirmação mais mitigada de todas.
Fischer e Orasanu constataram que a maioria dos pilotos disse que, numa situação como aquela, daria uma ordem: "Vire 30 graus à direita." Eles estariam falando com um subordinado, não teriam medo de ser indelicados. Os co-pilotos, por sua vez, estariam se dirigindo a um superior, e a maior parte deles optou, portanto, pela alternativa mitigada - o palpite.

~*~

Diversos acidentes aéreos foram causados devido à uma comunicação ineficiente entre piloto e co-piloto, como exemplos podemos citar o voo 090 da Air Florida, e voo 052 da Avianca

Esta é uma história real extraída do livro Outliers, de Malcolm Gladwell, mas se aplica a muitas situações na vida. Como você age em situações simples, moderadas ou críticas no seu dia a dia, com seu chefe, seus amigos, sua esposa ou marido, seus colegas de trabalho? 

Mais importante que "o que dizer", é "como dizer". Em determinados momentos, a maneira como algo é dito pode mudar o rumo da vida de muitas pessoas. 

Heads up, and go ahead!


0 comentários: